Encontrar o voo ideal – Skyscanner.

Hoje trago-vos umas diquinhas sobre como melhorar a pesquisa de voos no site Skyscanner.com – também disponível aqui ao lado na lista de parcerias do blogue -.
O Skyscanner, ao contrário de outros motores de busca de voos (como o Edreams, por exemplo) não vende bilhetes de avião. Ajuda-vos a fazer uma pesquisada o mais optimizada possível, mas no final redirecciona para o site da companhia aérea ou da empresa de viagens que está a vender o voo àquele preço encontrado. Ou seja, é uma plataforma comparativa de pesquisa. Mas isso pode ser muito útil, quando ainda andam a fazer os vossos planos.
Imaginem que querem ir passar o fim-de-semana prolongado do 1 de Dezembro a Paris (até é uma grande ideia). Entram na página principal, preenchem o destino de origem e chegada, as datas da viagem e voilá…

Vai surgir uma caixa de resultados em que os diferentes voos estarão listados por preço.
Na barra lateral podem alterar vários factores importantes da pesquisa, como as horas de partida e chegada, o número de escalas ou o tempo total de voo. Se vão fazer uma viagem de três semanas talvez nada disto seja muito revelante, mas se forem por um único fim-de-semana convém ter estes detalhes em atenção. Provavelmente a opçãp mais barata está longe de ser a que mais vos convém.
Como podem ver neste exemplo, o voo mais barato sai na quinta ao fim do dia e chega no domingo de manhã, o que vos deixaria com apenas dois dias em Paris em vez de praticamente quatro. No caso destas viagens curtas convém optimizar ao máximo o tempo, Neste caso o ideal seria sair na quinta de manhã e voltar no domingo a noite, o que podem fazer restringindo as horas de partida ou chegada. Quando os voos têm escalas muitas vezes saem num dia e chegam ao destino no outro (aparece indicado +1 na hora de chegada) tenham atenção a isto e evitem  – se não querem passar uma noite num banco de avião ou aeroporto – ou tirem partido disso e façam a viagem de noite, saindo no dia anterior e chegando de manhã bem cedo podem aproveitar ao máximo o dia sem terem gasto mais uma noite de hotel.
Se já pensaram em quase tudo mas ainda não se decidiram mas também não querem ter uma surpresa e quando voltarem para reservar o voo estar ao dobro do preço, activem os Alerta de preço – indicado com a seta vermelha!

Esta é uma óptima dica para passageiros frequentes e que planeiam com antecedência. Quando começarem a delinear uma viagem activem esta função,e cada vez que houver uma flutuação de preço para o trajecto/data que seleccionaram irão receber um email de notificação. Não perdem o fio à meada e podem conseguir apanhar a melhor época (baixa de preço) para marcar o voo, sem ter de andar a correr para o site diariamente. Ao clicarem no botão azul que diz “Obter alerta de preço” vai aparecer uma caixa onde só têm de preencher com o email e… prontinho. Nova informação irá parar sem problemas à vossa caixa de correio.

Para finalizar duas dicas importantes relacionadas com voos com escalas. Imaginem que em vez de Paris (para onde há imensos voos directos) iam passar uns dias a Sófia, na Bulgária.
Não vão encontrar voos directos entre Sófia e o Porto, portanto há na coluna da esquerda duas opções que têm de ter em conta, a possibilidade de efectuar transferências desprotegidas e a mudança de aeroporto durante as escalas.
Ambas estão normalmente relacionadas com o facto de pelo menos um voo ser realizado por uma companhia low cost. Aceitar uma transferência desprotegida significa que se o primeiro voo atrasar e perderem o seguinte a responsabilidade é apenas vossa e não da companhia aérea, vão ter de se desenrascar e comprar outro voo para chegarem ao destino final. Normalmente as companhias low cost atrasam-se muito menos que as outras companhias – já que pagam cada minuto extra que o avião está na placa do aeroporto, ahahah – mas há sempre imprevistos que podem acontecer, por isso não aconselho uma escala de 50 minutos num aeroporto como Barajas ou Stanstead, que são bem grandes e implicam por vezes mudar de terminal. Tentem umas escalas curtas e quanto mais apeadeiro for o aeroporto menos o risco de encurtar a escala, já que é tudo ali ao lado, mas sempre conscientes que se a coisa der para o torto, estão por vossa conta.
A mesma coisa em relação às mudanças de aeroporto. Muitas cidades (como Londres ou Paris) têm transfers entre os diferentes aeroportos, informem-se desses serviços, dos tempos estimados de viagem antes de embarcar numa viagem que implica mudança de aeroporto. Ou então entrem nisso de cabeça e aproveitem a paragem forçada para ficar um dia ou dois pela cidade e esticar as férias a mais um destino. Há sempre solução para tudo!

Mais importante que tudo isso, seja qual for o vosso perfil de viajante, primeira classe e sem stresses ou mochila às costas em low cost, a solução nunca é ficar em casa!

Leave a Reply