Almada na Gulbenkian.

“José de Almada Negreiros – Uma maneira de ser moderno” é a exposição temporária em exibição na Fundação Calouste Gulbenkian até ao próximo dia 5 de Junho e vale muito, mas mesmo muito a pena. Estive por lá numa manhã de sábado, no início de Abril e adorei. A colecção de obras apresentadas é enorme, gastam à vontade umas duas horas por lá e não podem ficar a ver em detalhe cada quadro ou desenho. Estão expostos os dois Fernando Pessoa do Almada, o segundo ainda mais giro que o primeiro e se virem por lá alguma visita guiada colem-se um bocadinho a ouvir a explicação sobre as principais obras, que vale a pena. Descobri imensa coisa sobre o Almada, vão lá para descobrir mais, não vos vou contar tudo, mas adianto que passou a sua lua-de-mel no Alto Minho, mais precisamente na Pensão Meira, agora Hotel Meira, e uma das obras em exposição é um pequeno filme sobre um naufrágio na Ínsua, em Moledo. Muito, muito giro. Se tiverem oportunidade vão até lá, não se vão arrepender. O bilhete custa 5 euros e não achei nada caro, mais informações aqui. “Isto de ser Moderno é como ser elegante: Não é uma maneira de vestir mas sim uma maneira de ser. Ser moderno não é fazer a caligrafia moderna, é ser o legítimo descobridor da novidade.” José de Almada Negreiros, conferência O Desenho, Madrid, 1927 Notam as diferenças? 🙂                           

Read more