Imprescindíveis de São João | Porto

Diz que é já no final desta semana que chega mais uma noite de São João. Celebrada um pouco por todo o país, a festa que não podem mesmo perder é a do Porto. Ser a mais fixe de todas é relativo mas a maior é com certeza e isso já é motivo para lhe darem uma oportunidade.
Já vivia há uma série de anos no Porto quando me aventurei pela primeira vez num são João e fiquei sem saber porque é que tinha demorado tanto tempo – claro que sabia, calhava sempre em época de exames e eu nem era nada dada a romarias, nunca me atraiu especialmente a ideia. Mas a verdade é que depressa fiquei rendida. O ambiente nas ruas por si só já vale a pena, é sempre bom sentir que toda a gente que nos rodeia está de bem com a vida, e na noite de São João toda a gente parece feliz.

Para entrarem no espírito como deve de ser, deixo algumas sugestões:

1. Comer e beber na rua
Sejam as típicas sardinhas assadas que muitas vezes nestes dias nem são óptimas ou propriamente baratas ou qualquer outro petisco acabado de sair de umas brasas numa qualquer esquina da cidade, comer ao ar livre, sentado nos degraus de uma escadas ou mesmo no chão é sempre boa ideia para começar a noite e ir entrando no espírito. No resto da noite um copo de fino na mão faz parte do cenário, diz que no Norte é Super Bock, mas se preferirem Sagres (como eu, não contem a ninguém) acho que ninguém vai dar por ela.

2. Percorrer os bairros mais típicos da cidade
Entre a Baixa e a Foz há uma série de ruinhas de inclinação estonteante que não devem perder, seja o bairro que desce a encosta da Sé ou do outro lado na Vitória, percam-se por aí, vão ter uma história para contar. Aqui é de evitar passar entre as 22h e as 02h, apenas porque as multidões são tais que podem não conseguir sair de lá tão cedo. 

3. Ver o fogo de artifício junto à Ponte D. Luís
Há vários spots na cidade que muitos juram serem os melhores para ver o fogo, seja no Palácio de Cristal, na Sé ou na Serra do Pilar, dos dois ou três que já testei aprovei o Cais de Gaia, relvado grande para se esticarem à espera, local bom para ver a ponte e a primeira curva do rio em direcção à foz. Mas mesmo que escolham qualquer outro local, o fogo é sempre um espectáculo que vale a pena ver.

4. Atravessar a ponte D. Luís depois do Fogo
Aqui a questão não é ser depois do fogo, mas sim à hora a que tem mais gente. Se não gostam de aventuras radicais, saltem esta parte à frente, se gostavam de ter a sensação do que é estar bêbado e andar aos Ss (sem estar, para depois se lembrarem) esta é a hora. Seja pelo tabuleiro inferior ou superior – já testei os dois – haverá polícia a controlar os acessos à ponte, que não leva número ilimitado de pessoas. Mas mesmo dentro das margens de segurança definidas aquilo abana tanto que é quase impossível fazer a travessia em linha recta. A primeira vez foi bastante assustador. 

5. Lancem um balão
Eu sei que agora está na moda proibir coisas que andam nos céus, mas esqueçam lá isso e tentem lançar pelo menos um, é giro, o céu fica incrível com todas as lanterninhas e a sensação de conquista quando finalmente um não arder logo que o largam e chegar ao céu é muito boa. E eu acho uma tradição super-gira, muito mais que os horrendos alhos-porros. (update 23.06.17: eu estava a pensar nos drones quando falei de proibições, ao que parece a chegada de urgência da Fase Charlie proibiu mesmo os balões, para não se habilitarem a uma multa de 5000 euros, deixem o ponto 5 para 2018.)

6. Arranjem um martelo e preparem-se
Por falar em alhos-porros, esqueçam essa treta que é o pior que existe no São João. Comprem antes um martelo dos que tem a cabeça grande (os pequenos aleijam) e preparem-se para martelar e ser martelados. Nunca percebi bem a ideia mas nesta noite as pessoas sentem-se perfeitamente à vontade para brincar não só com os amigos mas também com todos os desconhecidos com que se cruzam na rua. Chove martelo toda a noite.

7. Não dispensem um bailarico
Seja num dos concertos mais oficiais na avenida dos aliados ou numa concertina de esquina num dos bairros da cidade, não dá para acabar a noite sem um pezinho de dança. Os meus bailaricos favoritos são na zona de Miragaia. O ambiente é incrível, autenticas festas privadas, no meio da rua, em que é sempre bem-vindo mais um.

8. Acabem a noite na Foz
Tenho de confessar aqui que nunca cheguei tão longe, mas não há nada mais típico do São João do que ir percorrendo o Porto junto ao rio, ao longo da noite, pela zona da Alfândega, Miragaia, Passeio Alegre e acabar de manhã nas areias da Foz, a noite mais longa do ano.

Planeia a tua viagem!

Se quiseres planear a tua viagem de forma independente, tal como eu faço, usa os links que deixo abaixo.
São parceiros de confiança, podes conseguir alguns descontos, e ajudar-me a manter o blogue. Obrigada!
- Faz as tuas reservas de alojamento em Booking.com
- Procura o melhor tour/passeio para explorar o destino pretendido em GetYourGuide
- Faz o teu Seguro de Viagem antes de partir, oferecemos 5% de deconto através da IATI Seguros


Qualquer dúvida, manda-me um e-mail e posso ajudar no que precisares.
*Esta publicação contém links afiliados

Leave a Reply