Last minute packing | As malas mais rápidas da história

À hora que este post entrar hoje para o ar provavelmente eu ainda estarei a trabalhar, e as minhas malas estão espalhadas pelo chão de casa mais desfeitas do que outra coisa. Eu gosto de pensar com tempo e calma tudo o que vou meter lá dentro, mas desta vez a situação tornou-se caótica e de última hora.

Por isso não sei se vou chegar com tudo ao destino, já que saio de casa no sábado de madrugada, e hoje saio às cinco, tenho um jantar e vontade de ainda ir dar um mergulho ao mar. Se quiser dormir vai ficar qualquer coisa em terra.
Para já tenho lá para dentro uma série de vestidos, calções e t-shirts que devem dar para o gasto e o que já está mais d que tratado é o supermercado. Pessoa que se avia de víveres antes de partir sou eu, principalmente se o destino for exótico (ou caro! quase sempre é uma das duas). Que as minhas maçãs não provocam problemas intestinais, já as asiáticas, a gente nunca sabe.

Se tudo correr como previsto amanhã estarei em trânsito, nos céus, e talvez a primeira fotografia do Diário de Bordo #Cochinchina500anosdepois seja de uma asa de avião ou do dutty free, mas haja internet e haverá post. Passem por aqui a espreitar, ou no Facebook, ou no Instagram. E portem-se bem na minha ausência.

See you soon.

Leave a Reply