Prisão S21 – Museu do Genocídio | Phnom Penh

Em Agosto de 1975, com a vitória na guerra civil do Cambodja, os Khmer Vermelhos transformaram uma escola secundária no centro de Phnom Penh numa prisão política e local de tortura e interrogatórios. Conhecida como Prisão S21, pensa-se que entre 1975 3 1979 – o tempo em que durou o regime ditatorial – tenham passado por lá mais de 20 000 pessoas, das quais apenas 12 sobreviveram.

O regime instaurado pelos Khmers Vermelhos no Cambodja, a que chamaram Regime Democrático de Kampuchea, de democrático só tinha mesmo o nome, e levou a cabo, ao longo de quatro anos um dos maiores genocídios em massa conhecidos. Quase 2 milhões de pessoas (cerca de 25% da população do cambodja) foi assassinada entre 1975 e 1979, enquanto Pol Pot liderou os Khmers vermelhos e o poder no país, até à invasão do país pelos vietnamitas.

Hoje, a prisão S21 é uma das mais conhecidas no país, já que fica bem no centro de Phnom Penh, e foi transformada em museu do genocídio. São expostas as atrocidades do regime e é prestada homenagem a todas as suas vítimas. Não é um local “fácil” de visitar, mas vale a pena ir até lá e perceber um pouco melhor a história recente e difícil que marcou o país.

Leave a Reply