Querido Pai Natal… #2

Quando, há uns dias publiquei a primeira carta ao Pai Natal, muitos se espantaram e ouvi inúmeras vezes… “Como assim, só pedes um casaquinho? Estás doente.”. Calma, muita boa gente, parece que não me conhecem, ou não acompanham o blogue há tempo suficiente. Vai haver cartas a perder de vista, que não se pode pedir tudo de uma vez que o Pai Natal já não vai para novo e não queremos que ele se esqueça de nada. Querido Pai Natal,

Cá estou eu de novo em mais uma missiva, desta vez trago até ti os meus dramas com tecnologias variadas. Tenho uma relação de amor/ódio com tudo que é dispositivo eletrónico, eu sei que isto de ter eletrões a passear pelos fios cá em casa dá muito jeito para ligar aparelhos vários, e que tal como o resto do mundo não vivo sem, mas a verdade é que me irritam. E muito. Porque não percebo nada do assunto, porque está sempre tudo a avariar, porque ele são watts e bytes e unidades muito chatas e pronto. No meio disto tudo não passo sem eles, é o que é. Que se a televisão e a internet vão abaixo ao mesmo tempo é logo um Deus nos acuda. Mas tudo isto para dizer o quê? Pois, que tenho passado tempo demais no site da Worten e que estou mesmo precisada de três coisas:

  • Aquecedores para casa, o termoventilador não dá conta do recado e eu não queria passar outro inverno gelada. Disseram-me que o melhor eram uns emissores térmicos, não sei o que é, mas se emitirem coisas quentes estamos no bom caminho. Há tantos tamanhos preços, watts e feitios que estou um bocado perdida. Se quiseres colaborar, eternamente grata. E não me venhas dizer que na Lapónia é que está frio que tu tens os duendes sempre lá a deitar lenha na lareira e eu não posso queimar as cadeiras no meio da sala.
  • Um disco externo. É verdade que tenho um, mas confio tanto nele como em deixar uma bolota à mão do Rudolfo e esperar encontrá-la no regresso (as renas comem bolotas?) Liga e desliga, tanto funciona como deixa de funcionar e a minha vida em fotografias está lá dentro, preciso de um substituto para ontem. Um Tera deve estar bom para começar, qualquer coisa assim pequena e seremos felizes juntos.
  • Para finalizar precisava mesmo de uma pen nova, com uma capacidadezinha decente e ando há que tempos a namorar uma destas que dá para pôr no porta-chaves e não perdê-la 300 vezes por semana como acontece com a atual, que já tem coisa de 10 anos e começou a reclamar nos últimos tempos. Justifica-se, já merece a reforma.

Como vês, tudo coisas úteis e fundamentais na vida de qualquer pessoa. Voltarei em breve, claro está. Até lá dá miminhos a todas as outras renas, que me alertaram (e bem!) que na última carta só me lembrei do Rudolfo e não queremos de jeito nenhum que todas as outras renas (sentiram o som?) se aborreçam logo agora, não dava jeito nenhum.

Beijinhos,
Inês

 

1 Comment

Leave a Reply