Conjunto arqueológico património mundial | O que visitar em Mérida

Mérida não é aquela cidade espanhola fofinha com um centro histórico pequeno e simpático, de ruas medievais estreitas que circundam uma Plaza Mayor imponente. A época de ouro espanhola não passou por aqui, mas passaram os romanos. E também deixaram imensos motivos para vos fazer parar por lá na próxima oportunidade.

Mérida foi uma das principais cidades romanas na península ibérica. Fundada em 25 a.c. com o nome de Emerita Augusta foi capital de toda a Lusitânia, que à época ocupava vários territórios do que é hoje Portugal e Espanha (em traços gerais o território português abaixo do rio Douro e as províncias espanholas da Extremadura e Salamanca).
E como capital que se preze o império não deixou a coisa por menos, e a cidade estava repleta de grandiosas construções que chegaram relativamente bem conservadas até aos nossos dias.

Estive por lá uma manhã e o passeio que fiz e recomendo é o que podem ver no mapa acima. Haveria muito mais o que ver e fazer, por exemplo o circo romano e o aqueduto de São Lázaro que se encontram um pouco mais afastados do centro da cidade, mas penso que o essencial está aqui. Espero que gostem das sugestões:

  • Em redor da Plaza de España

O hostal onde nos hospedamos ficava a uma curta caminhada da praça e logo de caras à saída demos com o Arco de Trajano. A Praça de Espanha não é a mais incrível de sempre mas é agradável e tem uma série de esplanadas simpáticas ao seu redor. Para além de imensas ruínas mais ou menos aleatórias que vão aparecendo nesta zona, o elemento mais marcante é o Templo de Diana, que se mantém muito bem conservado.

  • Basílica de Santa Eulália

Um pouco afastada da cidade, fizemos a caminhada até lá mas acabamos por não conseguir entrar na igreja. Ficou a intenção e a visita exterior, o desvio não é assim tão grande.

  • Anfiteatro e Teatro Romano

Foi o maior complexo arqueológico que visitamos, é necessário comprar um bilhete que permite a entrada nas duas zonas (do anfiteatro e do teatro) e ainda na sua envolvente. Custou 12 euros por pessoa mas valeu a pena, o estado de conservação era bom, o espaço estava cuidado e bem organizado. Não é muito difícil acabar a imaginar um gladiador a debater-se com leões ou uma tragédia daquelas mesmo trágicas em que alguém acaba sem cabeça. (Por 15 euros têm um bilhete combinado que permite visitar outras atrações património mundial na cidade, se quiserem visitar mais alguma já vale a pena, não tivemos tempo para o fazer!)

  • Alcáçova e Ponte Romana

Não visitamos por dentro a Alcáçova, passeamos no exterior e atravessamos até meio a ponte romana sobre o Rio Guadiana, uma boa vista para a cidade e a outra ponte mais a norte. Para ser perfeito convinha só não estarem 35 graus à sombra (em Outubro!)

  • Aqueduto dos Milagres

Há dois aquedutos principais em Mérida, este aqueduto dos Milagres e o Aqueduto de São Lázaro, optamos por um deles e chegámos lá já à hora de almoço depois de explorar a cidade de manhã (fica um pouco afastado do centro, fomos de carro). Foi a oportunidade ideal para estender a toalha de piquenique à sobra de um dos seus pilares e, à tuga que se preze, estender os tupperwares de chouriço, bolinhos de bacalhau e petiscos variados que trazíamos de casa. Recomendo, hehehe.

Leave a Reply