Kremlin | Moscovo

Conhecer o Kremlin é incontornável numa visita a Moscovo, mesmo que não tenham tempo para mais nada, façam o favor de ir diretos à Praça Vermelha e entrar numa das Fortalezas mais conhecidas do mundo, só mesmo para dar um alôzinho ao Putin. Por isso, aqui ficam todas as informações de que vão precisar.

Em russo, Kremlin significa fortaleza, e há vários complexos com o mesmo nome espalhados pelo país, mas é o Kremlin de Moscovo que todos conhecemos e que dá nome ao governo da Federação Russa cuja sede se encontra no seu interior.
Apesar de já haver edificado de séculos anteriores, a famosa muralha e torres vermelhas do Kremlin de Moscovo foi mandada reconstruir no século XV, pelo czar  Ivã III, que mandou vir de itália arquitetos renascentistas para acompanhar a obra. A construção das principais catedrais no seu interior é da mesma época do restauro da muralha exterior, sendo que outros edifícios foram sendo construídos nos séculos seguintes.

Ora, e então como é que chegam e entram aqui?
A entrada no Kremlin é paga e têm de comprar bilhete, o que pode ser feito online ou nas bilheteiras. Nós compramos nas bilheteiras e posso dizer-vos que numa sexta-feira de Páscoa de manhã (potencialmente com mais turistas ocidentaizinhos de férias) a fila foi de cerca de meia-hora, o que visto a esta distância nem era muito. Pena estarem temperaturas negativas e estarmos à sombra. Tirando as mãos congeladas que me impediram de tirar fotografias ao local, foi tudo tranquilo.
Tanto a bilheteira, como a entrada principal (passagem elevada!) de acesso ao complexo arquitetónico ficam do lado oposto à Praça Vermelha.
Há várias opções de bilhetes, para diferentes zonas, exposições mais ou menos temporárias e também alguns concertos. Mas os dois que atraem mais turistas são:

  • O complexo arquitetónico na praça das catedrais

Vale muito, mas muito a pena, ver isto é “ir ao Kremlin”. A entrada custa 500 RUB e para além ao acesso exterior ao complexo permite a entrada nas Catedrais que são bem giras e aos estilo ortodoxo cheias de pinturas e trabalhados no chão, paredes e tetos.
O destaque vai para as três catedrais, Assunção, Arcanjo e Ascensão, que com as suas cúpulas douradas dominam a paisagem.

  • O museu Armoury Chambers

É assim, o que se vai lá ver não é feio, mas li em taaaaanto lado que era imperdível, que foi mais ou menos uma desilução. 700 RUB da minha vida para ver vestidos de gala, porcelanas, colares, bíblias. Tudo em bom e em dourado. Mas nada verdadeiramente uau.

(é proibido tirar fotografias no interior, daí a qualidade das mesmas não ser lá grandes coisas, mas para vos mostrar o que havia por lá e tirarem as vossas próprias conclusões arrisquei ir parar aos calabouços do KGB, é para verem quem é amigo!)

Mais informação sobre bilhetes, preços e horários de abertura dos museus, aqui!

Depois disto, passeiem só por lá que vale a pena. Nós apanhamos um incrível dia de sol e muito frio, com os jardins ainda todos gelados. Não podia ter tido mais a cara da Rússia e proporcionado umas cores pão giras para as fotografias.

(+) Roteiro de viagem à Rússia

(+) Como tratar do visto de entrada na Rússia 

(+) De comboio entre Moscovo e São Petersburgo

Leave a Reply