Marina de Singapura, a imagem de um país

Não sei o que vocês pensam quando ouvem falar de Singapura, mas até há bem pouco tempo atrás a única imagem que me vinha à mente ao pensar na cidade era da área em volta da Marina onde se encontra a Floresta Artificial (Gardens by the Bay) e o edifício com a piscina de borda infinita mais famosa do mundo, o Marina Bay Sands.
Hoje em dia consigo pensar em muito mais ao ouvir a referência à cidade, no entanto esta continua a ser a área mais emblemática da cidade, o cartão-postal de fazer cair o queixo.

Portanto, se só tiverem umas poucas horas na cidade, possivelmente graças a um stop-over simpático, já que Singapura é uma óptima base de ligação entre voos Europa-Ásia, é para aqui que se devem logo dirigir.

Apesar estar tudo ali à vista, ao aproximarem-se da Marina, as distâncias ainda são consideráveis porque a pé a única alternativa é contornar toda a área que é bem grande. Ir do Merlion até à floresta artificial, parando pelo caminho para milhares de fotografias, vai demorar calmamente umas duas horas. Mas vale a pena cada pedaço de sola de sapato gasta. Há barcos que cruzam a Marina, ou fazem pequenos cruzeiros, mas o preço da viagem não era o mais apelativo e portanto não cheguei a testar.
– Podem tirar mais informações no site da River Cruises, aqui – 

Não há muito a dizer mais sobre o que ver. É a arquitetura moderna dos edifícios em redor da Marina, a mistura da água e dos jardins com a construção. A organização e a limpeza, a sensação total de futuro e primeiro mundo. É desfrutar do efeito, passear, sentir o luxo no ambiente. Provavelmente não é o melhor destino para quem gosta de trekkings no Nepal ou noites em alojamento familiar no Vietnam. É turismo 5 estrelas, mas de vez em quando sabe muito bem.

Se conseguirem conciliar os vossos horários com o final do dia podem ter ainda a oportunidade de aproveitar os espetáculos de luz e som gratuitos. O Garden Rhapsody, na floresta artificial dos Gardens by the Bay é incrível e diferente de tudo. O Light and Water Show na Marina é ok, mas eu não fiquei encantada, é mais comum, mas para quem gosta de luzinhas e música e chafarizes parece-me bem.
Podem ver mais informações detalhadas sobre horários dos espetáculos e outros detalhes nos links abaixo:

Enfim, se tiverem oportunidade não percam uma paragem em Singapura, ter estado as duas semanas anteriores no Vietname, Cambodja e Laos ajudou ao impacto do contraste, mas achei a cidade mesmo interessante, espero ter oportunidade de voltar.

(+) Roteiro completo de 2 dias em Singapura

1 Comment

  1. Rui Quinta

    November 26, 2018 at 10:49 am

    Singapura parece-me muito semelhante ao Dubai, mas dá-me um pouco mais de curiosidade. Talvez por não ser construída em meio de nenhures. Fica para quando fizer a travessia do Sudoeste Asiático…
    Rui Quinta, Rui de Viagem

Leave a Reply