O ano em leituras | 2018

Tal como já vem sendo habitual aqui pelo estaminé, deixo-vos uma retrospetiva de alguns pontos do meu ano de 2018. Começamos pelas leituras, e confesso já que este não foi um ano lá muito bom.

Os dois últimos anos tinham sido muito produtivos em termos de leituras, principalmente porque com o meu trabalho anterior, almoçava sozinha todos os dias e um livrinho andava sempre comigo na carteira para me fazer companhia em todo o lado. Acontece que isso deixou de acontecer em Julho, o Verão ainda trouxe algumas leituras de praia mas assim que o frio e a chuva começaram a aparecer aos poucos, os livros começaram a ficar em casa. Fiquei aquém da meta proposta e não li quase nada nos dois últimos meses. Shame on me. Para 2019 tenho que arranjar uma maneira de reverter a situação. Confesso que ainda não sei bem como.

 

      

       

              

                 

          

Aqui estão todos os livros que li em 2018. e entre o mais e o menos estão:

(+) A biografia de Shimon Peres foi provavelmente o livro mais fixe que li este ano. gostei mesmo muito, a escrita era simples mas cativante e o relato extraordinário.
Gostei muito também da pseudo-biografia do Pedro Rolo Duarte, de ler num trago. A do Miguel Sousa Tavares também tem um cantinho especial nas menções, adoooro lê-lo.

(+) Os livros de viagem fizeram parte do meu ano e “Uma volta ao Mundo com Leitores” da minha amiga Sandra Barão Nobre e o “Nos Passos de Magalhães” do Gonçalo Cadilhe foram os meus favoritos.

(-) O último livro do JRS que li foi o final da trologia que já me andava a meter nervos. Não gostei do fim, achei meio à pressão. Estou mesmo farta dele, já não comprei o último livro.
Andava em pulgas por este D. Maria I da Isabel Stilwell, adorei os outros e comecei a lê-lo mal saiu, não o acabei ainda, está encostado desde Novembro, o que diz muito do quanto me está a agradar. Não sei o que se passa, mas se me lembro do D. Filipa de Lencastre que li em menos de 1 semana… Passa-se aqui alguma coisa.

E as vossas leituras, como correram?

Leave a Reply