Explorar Porta do Mezio | Soajo #EuFicoEmPortugal

Em Junho de 2020, quando a retoma à realidade começou um pouco tímida em Portugal e houve ordem para voltar à estrada, a @abvppt e o @turismodoportoenorte juntaram-se para uma Road Trip pelo Norte de Portugal. ENtre outras aventuras que já podem ver e rever no blogue, estivemos nos Arcos de Valdevez, onde tivemos oportunidade de explorar o Parque da Porta do Mezio e a vila do Soajo, famosa pelos seus espigueiros.

A vida de um viajante continua cada vez mais complicada, a verdade é essa. Estou em falha convosco porque nem vontade de escrever tenho. E nem sei muito bem sobre o quê. Para além deste post, o único relato nacional que tenho em “fila de espera” é a minha aventura a solo pela Nacional 02. Acho que estou a adiar a publicação porque tenho medo de os esgotar.
Os destinos internacionais têm imensos posts em rascunho, mas… ainda não mudei o chip e continua a parecer-me meio estranho escrever sobre mundos impossíveis neste momento. Vocês que têm a dizer sobre o assunto? Preferiam continuar a sonhar, mesmo não podendo sair de casa? Deêm-me uma luz.

Mas enquanto essa decisão não chega, voltamos aos Arcos e às mil e uma oportunidades de passeios na região.

Parque da Porta do Mezio

Nas palavras dos próprios…

“A Porta do Mezio, uma das cinco portas do Parque Nacional da Peneda Gerês, é o hall de entrada para a magnífica imensidão das montanhas e vales do Soajo e Peneda. Um território tão magnífico que a UNESCO o considera Reserva Mundial da Biosfera! Na Porta, para além de ficar a conhecer todos os pormenores necessários para se aventurar pelas florestas e montes, pode passar momentos de descontração e grande diversão com a família e amigos. Temos 3 hectares plenos de espaços para pequenos e graúdos e o nosso staff fará com que a montanha seja a sua casa! São valências desta Porta o Centro de Receção e Informação, o Parque da Biodiversidade, a Aldeia dos Pequeninos, o  Centro Interpretativo da Área Arqueológica Mezio/Gião, o Museu Rural e Etnográfico, o Restaurante, o Miradouro, a Estufa, o Parque Fitness, o Parque de Merendas, a Piscina, os Espaços Infantis, o Observatório de Avifauna e o Parque Aventura onde pode praticar arborismo, slide e escalada.”

Para nós foi uma tarde muito bem passada, entre uma sessão de arborismo, que adorei experimentar, uma visita à Aldeia dos Pequeninos e aos Museus do Parque e uma prova de produtos típicos (e premiados da região!).
Mas o ex-libris da visita foi mesmo a observação noturna das estrelas, ainda em fase de teste no Parque mas que em breve fará parte do cardápio habitual.

Espigueiros do Soajo

Ainda hoje utilizados pela população do Soajo, esta eira comunitária – em destaque num afloramento rochoso bem no centro da vila – é composta por 24 espigueiros, sendo que o mais antigo remonta a 1782.
É a atração mais conhecida, mas a vila merece também um pequeno passeio pelo centro bem como uma paragem estratégica para provar uma peça de carne cachena assada no forno e regada a verde tinto da região.
Combinação perfeita!

Já aqui tinha falado um pouquinho da Vila dos Arcos de Valdevez e das atividades de trekking/caminhadas a partir da aldeia de Sistelo. Fica o post abaixo e nova referência ao Ribeira Collection Hotel – o refúgio mesmo no centro da vila onde passamos a noite e que apesar de curta, proporcionou uma estadia incrível. Vontade de voltar até lá: temos!

(+) Passadiços de Sistelo | Arcos de Valdevez

(+) Ribeira Collection Hotel

Planeia a tua viagem!

Se quiseres planear a tua viagem de forma independente, tal como eu faço, usa os links que deixo abaixo.
São parceiros de confiança, podes conseguir alguns descontos, e ajudar-me a manter o blogue. Obrigada!
- Faz as tuas reservas de alojamento em Booking.com
- Procura o melhor tour/passeio para explorar o destino pretendido em GetYourGuide
- Faz o teu Seguro de Viagem antes de partir, oferecemos 5% de deconto através da IATI Seguros


Qualquer dúvida, manda-me um e-mail e posso ajudar no que precisares.
*Esta publicação contém links afiliados

1 Comment

  1. Ruthia Portelinha

    February 5, 2021 at 9:52 am

    Também ando sem vontade nenhuma de escrever (este novo confinamento matou-me). O que tenho feito é reestruturar posts mais antigos. Lindas recordações me trouxe este post

Leave a Reply