Roteiro de 4 dias na Puglia

No final de Outubro, fui uns dias até à Puglia, com uma escapadinha a Matera, que fica lá perto mas oficialmente já pertence à região de Basilicata. Foram ótimos dias de passeio, com um tempo maravilhoso a contrastar com a chuva que deixamos por cá. Ótimo para desligar um pouco, comer muito e bem, e conhecer uma região menos explorada do país. Aqui fica o meu roteiro de 4 dias na Puglia.

Dia 1 – Porto – Bari – Matera – Taranto

O dia começou de madrugada no Porto, de onde voamos para Bari, a capital da região. Decidimos que a chegada não iriamos parar na cidade, e no aeroporto alugamos um carro para começar a nossa road trip.
A viagem começou com a deslocação até Matera, onde chegamos à hora de almoço.
A cidade surpreendeu-me imenso pela sua dimensão, esperava um pequeno pueblo e não uma cidade imensa. O Sassi di Matera, a sua zona histórica, é enorme, e podem passar horas perdidos por lá a explorar cada recanto. SUgiro que iniciem o passeio na zona “nova”, que percorram a Rua Domenico Ridola, até à Igreja de São Francisco de Assis e à Catedral, onde tem o primeiro miradouro para a zona “velha” composta pelas famosas grutas habitáveis do Sassi.
De seguida comecem a descer e a embrenhar-se no Sassi di Matera, explorando as suas vielas que acabam na Rua Bruno Buozzi. Daqui vão já avistar a Praça e a Igreja Madonna d’Idris e a Gruta do Sassi, escavada na rocha, num pequeno promontório, de onde têm vistas deslumbrantes da zona velha da cidade. Se estiverem com tempo há trilhos até ao vale que vos permitem cruzar o Gravina através da Ponte Tibetana e subir aos miradouros do outro lado do vale. Não estavamos com tanto tempo, por isso voltamos a pegar no carro e fomos assim até ao Miradouro Mugia Timone.
De lá deixamos Matera e conduzimos até Taranto, uma cidade fortificada, à beira mar, na costa contrária à de Bari. Seria o nosso poiso para esta noite, e depois de deixarmos as trabalhas no apartamento no centro histórico, só tivemos tempo para dar um volta já sem luz, beber o primeito Aperol Spritz da viagem, jantar e inaugurar a época de gelados de pistachio.

Dia 2 – Taranto – Punta Prosciutto – Lecce

O dia começou em Taranto, onde explorarmos o centro histórico e a zona portuária, agora à luz do dia. A cidade é simpática, e um bom ponto de paragem, mas não diria que é imperdível. Após este passeio de reconhecimento, voltamos à estrada e conduzimos, sempre pela costa em direção a sul, até Punta Prosciutto – o segredo mais bem guardado desta região. Praias com areal a perder de vista, isoladas, quase desertas nesta época do ano, mas como pouca oferta adjacente também para a época balnear. A juntar a esta conjunto, água de um maravilhoso azul turquesa a temperaturas amenas. tal como a temperatura exterior. Claro está que foi a desculpa perfeita para estacionar e passar quase duas horas dentro de água. Almoçamos junto à praia, antes de arrancar em direção a Lecce, onde chegamos já a meio da tarde, mas ainda com algumas horas de luz do dia para explorar a cidade.
Lecce foi uma agradável surpresa, é uma cidade de dimensão considerável, o que já imaginava, mas tem muito mais património edificado digno de visita do que estaria à espera. A cidade tem vida, o seu centro histórico é maioritariamente pedonal e a cada virar de esquina tem pontos de interesse. Descobri entretanto que há quem a apelide de Florença do Sul, o que sendo talvez um exagerado mostra um pouco do que podem encontrar na cidade. Ao redor do centro à ainda algumas portas intactadas da antiga muralha da cidade, como a Porta Rudiae e a Porta Napoli, e no seu interior vão encontrar uma imensidão de igrejas das quais se destacam o Duomo – que podem visitar juntamente com a Torre do Campanário e o Palácio Episcopal, e a Basílica de Santa Cruz – numa das praças mais giras da cidade. Outro destaque na cidade são as ruínas romanas do Anfiteatro – localizadas na Praça Principal de Santo’Oronzo, e do Teatro Romano, a pouca distância daqui. Para além destes ícones, devem perder-se nas ruelas adjacentes, cheias de bares, restaurantes e lojas tradicionais e passear um pouco em direção à zona mais nova e comercial da cidade, passando pelos Jardins Giuseppe Garibaldi e pelo Castelo Carlos V. Foi por aqui que passamos o resto do dia, deambulamos sem destino, e voltamos ao Aperol Spritz e aos gelados de pistachio.

Dia 3 – Lecce – Sant’Andrea – Grotta della Poesia – Ostuni – Cisternino – Locorotondo – Alberobello

Este foi o dia mais cheio da viagem. Saímos de manhã cedo de Lecce, logo após o pequeno-almoço ligeiramente em direção a sul onde visitamos as falésias na região de Sant’Andrea – vale a pena, a paisagem é de cortar a respiração e o mais incrível é a possibilidade de nadar junto às rochas (há acessos ao mar, infelizmente o programa não permitiu ter disponibilidade de tempo para o fazer, mas fica a nota), e a Grotta della poesia, esta foi um pequeno flop – é bonito? sim, mas não é incrível, paga-se a entrada para ver uma abertura nas rochas com água turquesa no fundo, não se pode aceder à água, o espaço não está super bem cuidado, acho que os locais gratuitos da costa não ficam atrás em nada, pelo contrário.
Depois disto rumamos a norte para conhecer algumas das Cidades Brancas do Vale de Ítria, no interior da região. A primeira paragem foi em Ostuni, a maior das três que escolhemos, onde almoçamos uma pasta alla vongole antes de explorar as ruelas que se espraiam pelas encostas da cidade. Há recantos super simpáticos e imensos restaurantes e comércio escondido nas ruelas, sem dúvida uma paragem a considerar num roteiro de 4 dias na Puglia.
Para além de Ostuni, escolhemos ainda parar em Cisternino, outra cidade simpática, bastante mais pequena mas ainda assim com algumas ruas interessantes, onde comemos o gelado do dia, e Locorotondo – esta última também pequenina mas com algumas lojinhas de comércio local muito interessantes, para comprar porcelanas da região (e não só) e característica pelas catos tradicionais colocados às portas e janelas das casas.
Já o fim da tarde chegava quando partimos finalmente para Alberobello, o destino final do dia, onde chegamos apenas a tempo de deixar as coisas no hotel e ir até ao centro da cidade, ter o primeiro contacto com os famosos trulli, as casinhas típicas da região.

Dia 4 – Alberobello – Monopoli – Polignano a Mare – Bari – Porto

O dia começou em Alberobello, bem cedo para conseguirmos percorrer a Zona Monumental dos Trulli ainda sem as enchentes de turistas que acabam por chegar. Fomos bem sucedidos e acabamos por conseguir explorar a zona e ter imensas oportunidades de fotografias de postal. Nesta zona, os trulli são maioritariamente utilizados para alojamentos locais, pequenos comércios vocacionados para turistas ou zonas de restauração, ainda assim valem a pena. Mas para terem uma imagem mais genuína da cidade, desçam até ao Largo Martellotta e voltem a subir para a Praça Giangirolamo II e daí no sentido oposto até à zona onde fica a Basílica de São Cosme e Damião e o Trullo Sovrano.
De Alberobello, voltamos a pegar no carro de volta à costa. A primeira paragem foi na cidade piscatória de Monopoli, muralhada em redor do porto de mar, com os seus barquinhos tradicionais azul forte a compor o cenário. A cidade tem também uma prainha simpática que fora de época pode ser uma boa opção para ir a banhos. A paragem seguinte, a poucos quilómetros de distância foi em Polignano a Mare, o cartão postal da cidade é a vista da Ponte Borbonico para a Praia Lama Monachile, encaixada entre falésias e adjacente à zona velha da cidade. Atravessem a Porta Vecchia, em direção à zona velha e vejam a praia de outro angulo no Miradouro La Manachile. Ainda aproveitamos para almoçar na cidade antes de rumar a Bari.
Comparada com outras cidade da região da Puglia, a sua capital não é a mais apelativa. É uma cidade de outra dimensão, de avenidas largas e zonas comerciais pedonais. Passamos a tarde por lá e recomendo que se tiverem algumas horas livres na cidade explorem o Castelo Svevo di Bari, a Basílica Catedral e a Praça Mercantil na zona velha, onde é fácil se perdem no emaranhado de ruas e caminhem também ao longo da Avenida Vittorio Emanuelle II e da rua pedonal (comercial) Sparano da Bari.
Daqui seguimos para o aeroporto, onde nos esperava o voo de regresso ao Porto depois de um roteiro de 4 dias na Puglia.

Outros locais a visitar em Itália

(+) Lago di Como | Roteiro de 2 dias

(+) 1 dia em Veneza

(+) 1 dia em Verona

(+) Roma | Roteiro de 3 dias

. . .

Planeia a tua viagem!

Se quiseres planear a tua viagem de forma independente, tal como eu faço, usa os links que deixo abaixo.
São parceiros de confiança, podes conseguir alguns descontos, e ajudar-me a manter o blogue. Obrigada!

- Faz as tuas reservas de alojamento em Booking.com
- Faz as tuas reservas de automóveis em DiscoverCars

- Procura o melhor tour/passeio para explorar o destino pretendido em GetYourGuide
- Faz o teu Seguro de Viagem antes de partir, oferecemos 5% de deconto através da IATI Seguros


Qualquer dúvida, manda-me um e-mail e posso ajudar no que precisares.
*Esta publicação contém links afiliados

1 Comment

  1. Beauty Fashion

    December 21, 2022 at 5:01 pm

    Hello, i believe that i saw you visited my weblog so i return the want?I am attempting to find issues to enhance my site!I assume its adequate to use a few of your ideas!!

Leave a Reply