Passeios bate-volta nos arredores de Viena

E depois do roteiro pelo centro da cidade, chegam os passeios para fazer nos arredores, naquele sistema bate-volta queridinho de viajantes por todo o mundo. Claro que haveria uma infinidade de locais a visitar a partir de Viena, mas eu sugiro três (aqueles que eu já fiz), todos com um perfil diferente. Começando por ordem crescente de distância à cidade.

1. HundertwasserHaus

Na verdade ainda fica na cidade, mas como saí um pouco do roteiro, não só porque ao contrário de tudo o resto não é muito interessante ir a pé mas também porque tem um estilo completamente diferente do resto da cidade, resolvi incluir aqui. Não é imperial, não é impressionista, é só muita maluco. Um complexo residencial construído nos anos oitenta por Friedensreich Hundertwasser e Joseph Krawina. Combina uma série de elementos ondulantes, irregulares e coloridos com vegetação e faz lembrar um pouco a loucura de Antoni Gaudi. Duas horas de passeio, podem lá chegar de tram, os que passam mais próximos são o O, o 1 e o 2. 2. SchönbrunnOntem falei-vos do Hofsburg, o palácio imperial no centro de Viena, que seria o palácio de Inverno dos Habsburgo. Este é o Palácio de Verão, onde se refugiavam no campo nos dias mais quentes do ano, para aproveitar a brisa, o verde e os lagos e fugir da confusão da cidade. A Silly Season da época, provavelmente. Foi aqui que nasceu o Imperador Francisco José e aqui que passou parte da sua vida ao lado de Sissi, vale a pena a visita.É muito fácil chegar ao palácio, o linha de metro número 4 tem uma paragem mesmo em frente à entrada principal chama Schönbrunn. Os bilhetes podem ser comprados com antecedência aqui e há imensas opções disponíveis para visitar apenas o palácio, os jardins, os vários edifícios por eles espalhados. Sugiro que planeiem com tempo o que têm vontade de fazer, uma visita mais curta pode demorar apenas uma manhã, mas se forem num bonito dia de Verão talvez valha a pena investir num bilhete que inclua todas as atracções espalhadas pelos enormes jardins e perder um dia inteiro a passear por lá. Fica muito ao critério do tipo de passeio que gostam de fazer. Eu visitei apenas o circuito interno do palácio mais curto e fiz um passeio mais simples pelos jardins e já achei que valeu a pena. 3. Bratislava A capital eslovaca tem um cantinho especial no meu coração, quem me acompanha por aqui sabe que vivi lá durante dois meses, e fui bem recebida, por isso não me faltaria vontade de voltar. Mas claro que também disse por aqui e não é uma viagem que aconselhe ninguém a fazer de propósito – não andem meio mundo só para conhecer Bratislava porque efectivamente não é a capital mais incrível de sempre – mas é fofinha e simpática o suficiente para não deixar escapar a oportunidade estando mesmo ali ao lado. Há um comboio por hora a ligar as duas capitais em cerca de 50 minutos, saindo da Hauptbhanhof em Viena (perto do Belvedere – início da linha O do tram) e um bilhete por cerca de 15 euros que permite ir e voltar no mesmo dia e ainda apanhar o autocarro até ao centro em Bratislava.Já em tempos fiz um roteiro em que explicava tudo isto em detalhe. Se tiverem um dia inteiro livre poderão ir até Bratislava e conhecer o centro histórico, passear junto ao Danúbio, subir ao castelo e conhecer todos os pequenos museus da cidade – normalmente bem baratinhos, de visita rápida e funcionários mega prestáveis mesmo quando não falam inglês – mas se tiverem apenas uma tarde vão na mesma, conseguem conhecer o centro histórico e subir ao castelo, provavelmente apenas não terão tempo de visitar nada por dentro, mas mesmo assim valerá a pena e ainda podem acabar o dia a jantar numa das imensas esplanadas na rua que dá acesso à porta de São Miguel. Eu sei que sou suspeita, mas vão por mim e vão até lá.

Read more

Bratislava, roteiro e dicas práticas.

Aqui está o post mais útil do mundo da blogosfera sobre tudo o que precisam saber para dar um saltinho a Bratislava e voltar (caso estejam por perto). Como chegar à cidade: – De avião: Bratislava tem um pequeno aeroporto, principalmente servido por companhias low cost, a cerca de 10 km do centro da cidade. É um óptimo ponto de chegada para visitar a região, para malta que não nada em dinheiro (os outros vão para Viena). O aeroporto é servido por duas linhas de autocarro, o 96 e o 61. Fixem-se no 61, caso tenham como destino o centro da cidade – o 96 atravessa o rio e vai para a zona de Petrzalka. O destino final da linha 61 é a estação dos comboios (Hvlaná Stanica), apanhem este bus e saiam na paragem anterior – Námestie Franza Liszta – (normalmente há um painel de informação dentro do autocarro, se não tiver e sairem na última também não é grave – ver secção como chegar de comboio). Dali atravessam a passagem superior para peões e apanham do outro lado da rua, paragem SAV, a linha 83 ou 84 até Hodzovo Námestie, em frente ao Palácio Presidencial. A outra opção de aeroporto de acesso à cidade é Viena, desta vez para carteiras mais recheadas já que as companhias não low cost usam este aeroporto como base na região. É igualmente fácil chegar daqui até ao centro de Bratislava, apenas um pouco mais demorado. Existem imensos autocarros que saem do aeroporto de Viena directos ao centro de Bratislava, dificilmente terão de esperar mais do que 1h para apanhar o seguinte. As paragens de autocarros ficam mesmo à saída do terminal, vão esbarrar com elas, e para Bratislava partem todos da linha 4. Há duas companhias que fazem o percurso, a Blaguss (promete uma viagem de cerca de 45 minutos e pára debaixo da Ponte SNP (Novy Most) – junto ao rio e bem na entrada do centro histórico) e a Slovak Lines (em cerca de uma hora estarão na estação de autocarros de Bratislava – ver secção como chegar de autocarro). Ambas praticam preços semelhantes, por volta de 7 euros uma viagem simples e de 12 para ida/volta. – De comboio: Bratislava está ligada por comboio às principais cidades dos países envolventes. Já relatei (aqui) a viagem que fiz de comboio até à Polónia, mas podem ir até Berlim, Praga, Budapeste, onde quiserem. O percurso entre Viena e Bratislava dura cerca de 1h hora e há praticamente um comboio por hora para cada lado a todas as horas do dia, sai de Viena da Hauptbahnhof e se fizerem o percurso Viena-Bratislava-Viena no mesmo dia o bilhete de cerca de 15 euros ainda vos permite fazer duas viagens nos autocarros de Bratislava, óptimo para ir e voltar para o centro da cidade. Chegados lá só têm de apanhar a linha 93 até Hodzovo Námestie ou descer a rua até à paragem SAV e apanhar o 83 ou 84 tal como sugerido na secção anterior. – De autocarro: A estação de autocarro, de onde chegam a maioria dos autocarros que vêm de fora da cidade fica não muito longe do centro da cidade, se apanharem o trolley 208 ou 206 podem sair na mesma Námesti Hodzovo já referida nas secções anteriores. – De barco: O rio Danúbio passa bem no centro da cidade de Bratislava, tornando a chegada por rio (há diariamente várias companhias a fazer o percurso Viena – Bratislava – Budapeste, umas numa base de transporte de ligação entre cidades outras mais ao estilo cruzeiro) bastante atractiva. Existem também passeios de barco pelo Danúbio nas imediações da cidade que partem da mesma zona, por exemplo para o Castelo de Dévin. Roteiro base: Aqui fica uma sugestão de roteiro que pode ser feito num dia, ou em meio, depende da velocidade das vossas pernas e da calma com que visitarem ou não as várias igrejas e pequenos museus que vão encontrar ao longo do percurso. Começa pelo Palácio Presidencial da Hodzovo Námestie e segue até à Hurbanovo Námestie, de lá viram à direita até à zona de Kapucinska onde têm a primeira vista sobre a colina do castelo e onde podem atravessar a estrada para começar a subida até ao topo. Chegados ao cimo é possível visitar o castelo e tirar belas fotografias do Danúbio e das suas margens, é possível avistar a Áustria. Descendo pelo lado contrário até à base da Novy Most (ponte nova, subi ao topo da ponte à noite e rendeu algumas das fotos que podem ver aqui), podem passar em seguida pela Catedral de St. Martim, pelo jardim da Hviezdoslavovo Námestie – onde se encontra também a ópera antiga -, e voltar até junto ao rio. Depois de uma pequena caminhada ao longo do Danúbio voltam a ‘entrar’ na cidade até à Blue Church, uma igreja pequena mas original que justifica o pequeno desvio até lá. De regresso ao centro da cidade podem visitar o Palácio Primacial e a Câmara na praça por trás da praça principal (Hlavné Námestie) e terminar o dia sentados numa esplanada da animada rua que termina na Porta de São Miguel. Podem ver alguns deste locais aqui e aqui.
Passeios de meio dia a partir de Bratislava: – Dévin (aqui) – SchlossHof (aqui) – Red Stone Castle (aqui)

Read more

TV Tower.

Algures no monte, bem lá no alto, e com uma vista incrível para a cidade de Bratislava fica a torre da Televisão. Já tinha olhado para ela algumas vezes mas sem fixar o olhar mais de 2 segundos, até que nos meus últimos dias por lá uma colega sugeriu irmos lá lanchar, já que alberga um restaurante e um café bem no topo e podia ter uma ‘última vista’ (quase literal) para a cidade. E assim fizemos.A floresta em volta possui vários caminhos e trails para fazer caminhadas, corridas e actividades várias ligadas ao montanhismo e sobre as quais eu não percebo nada, mas muito apreciadas pelos Eslovacos que vão à montanha como nós vamos à praia. Há dois teleféricos que sobem a montanha mas nós optámos pelo meio de transporte mais tradicional, o autocarro, já que era o único que parte do centro da cidade (o 203 em direcção a Koliba, o nome da floresta e também o da paragem).Chegados lá ainda tivemos uma caminhada de cerca de 15 minutos até chegar à torre onde o lanche e o pôr-do-Sol nos aguardava. A Torre tem forma de garrafa (como podem ler com mais detalhe em cima) como homenagem à região vinícola dos Pequenos Cárpatos, a região montanhosa que começa junto a Bratislava.

Vista 360 graus.

Read more

Pelas margens do Danúbio.

O rio Danúbio, o famoso Danúbio Azul, atravessa bem ao meio a cidade e Bratislava (o centro histórico numa margem e o bairro de Petrzalka do outro) e domina a imagem da cidade. A zona mais próxima do centro da cidade já conhecia de outras viagens que tinha feito à cidade mas desta vez fui um bocadinho mais além, e talvez porque o tempo ajudou e apanhei uns dias maravilhosos descobri uma nova zona de lazer, com óptimos relvados, esplanadas, cafés e restaurantes. As várias pontes que existem ao longo da margem, bem como a requalificação das áreas envolventes permitem longas caminhadas, passeios ou, para os mais atletas claramente não para mim, usufruir de uma pista de atletismo com vista privilegiada. Os meus passeios restringiram-se aos primeiros dois quilómetros – desde o start até ao 2 azul – e mesmo assim já renderam óptimas fotografias. Recomendo o passeio. As fotografias seguintes estão por ordem se começarem o passeio pelo start, onde fica a zona mais recente ajardinada cheia de esplanadas quando o tempo ajuda. A zona do 1 azul é a que fica mais próxima do centro da cidade e termina com na Novy Most (a ponte com o UFO no topo que aparece na fotografia panorâmica). Para lá da ponte é uma zona mais afastada do centro da cidade, com menos movimento mas onde podem ver um pôr-do-Sol incrível.

Read more

Finding statues: the challenge.

Um dos cartões de visita da cidade é a estátua ‘Man at Work’ que atrai centenas de turistas, diariamente, para uma fotografia sentados em cima da cabeça do pobre homem ou em qualquer outra posição mais original. Mas para além desta, existem várias outras estátuas espalhadas pela cidade que sempre atraem a atenção dos turísticas e arrancam algumas gargalhadas aos locais (que comtemplam divertidos as figuras que fazemos por uma boa foto). Se passarem por lá, aqui vos deixo o desafio, encontrar todas as estátuas que vos mostro aqui.  O mais famoso ‘Man at Work’. O nadador. Sininho e artistas de circo. Artistas de circo e o paparazzo. Soldado das tropas de Napoleão.

Read more

Bratislava #2 (by night)

Enquanto eu me divirto em Amsterdão, deixo-vos com mais algumas das fotografias que fiz em Bratislava. (Já cheguei há dois meses, oh god!) Desta vez durante os poucos passeios que fiz durante a noite. Sim, porque a entrada para a residência fechada às 23:00, ou seja, não havia cá má vida para ninguém. Foi por um triz que não perdi o último autocarro (às 22:39) por duas ou três vezes. As fotos “aéreas” foram tiradas do UFO, um bar/restaurante no topo duma torre no meio da ponte que atravessa o Danúbio com um ambiente óptimo e um miradouro melhor ainda.

Read more

Bratislava #1 (centro histórico)

Apesar de ser a Capital da Eslováquia e ter cerca do dobro dos habitantes que o Porto, a cidade cresceu mais descontroladamente no século passado, nomeadamente durante a época comunista pelo que o centro histórico da cidade, situado na base da colina do Castelo e ao lado do Danúbio pode ser facilmente conhecido num único dia de passeio. Ainda com direito a passeios e a momentos relaxados na esplanada. Todas as atracções turísticas são facilmente alcançáveis a pé e toda a zona central da cidade é maioritariamente pedonal.  Teatro Nacional Antigo. Praça Principal   O “Rolando”. – não sei quem é, mas tem lugar de destaque. Palácio Presidencial. Edifício da Câmara Antiga Porta de São Miguel Palácio Primacial

 A ter uma conversinha com o ‘soldado das tropas de Napoleão’ que ficou perdido por Bratislava, reparo agora que estavam uns noivos por trás de nós. Nada muito estranho, porque nesse sábado vimos mais que muitos casamentos!

Read more

Nas margens do Danúbio… Bratislava!

É uma cidade simpática, acolhedora e com um ambiente engraçado.  Se forem para as redondezas (Praga, Viena, Budapeste…) dêem lá um salto, vão passar um dia, ou mesmo só um tarde, agradável e descontraída. Apanhem o barco, se estiverem em Viena, Budapeste ou el qualquer outro sítio ao longo do Danúbio, é giro chegar pelo rio. De resto, não apanhem um avião daqui para lá de propósito para ir a Bratislava. O Danúbio.  Refreshing water… (é azul mas não é o Danúbio, é mesmo uma fonte/charco/piscininha na praça e frente ao Teatro)

Read more