Campo de concentração de Dachau.

O mundo tende a cometer ciclicamente os meus erros, século após século, e eu estou convencida que o principal motivo é a distância, o esquecimento e o desconhecimento das novas gerações em relação ao passado. Mas se noutros tempos a ignorância era de alguma forma compreensível, no mundo global em que vivemos – principalmente nas nossas sociedades ocidentais – não há desculpas para a falta de educação histórica e política.=&0=&

Read more

EnglischerGarten.

A gente já sabe, ou pelo menos tem ideia, de que este pessoal do centro e norte da Europa nunca se assusta com o frio, e basta estar um dia mais ensolarado e é vê-los a correr todos para os jardins e os parque, para fazer desporto ou passear em família.Em Munique os parques são ainda mais famosos, ou não tivessem no seu interior os famosos biergarten, de que já falei aqui. Portanto, para além de passear ou correr, passar a tarde ao Sol a beber cerveja é um programa bastante apreciado, óbvio :)Em Munique, um dos parques mais centrais é o famoso EnglisherGarten.Nós aproveitamos o sol que espreitava na cidade e passeamos por lá durante uma tarde, e apesar de ser segunda-feira havia mais gente que teve a mesma ideia, e o parque estava bem concorrido.O parque começou a ser projectado em 1789 e tem actualmente cerca de 3.7 quilómetros quadrados, o que faz dele um dos maiores parques urbanos do mundo, maior que o Central Park em NY.Para além dos imensos cursos de água, relvados gigantes, zonas de vegetação frondosa e lagos as principais atrações do parque são: o templo de Apolo, uma pequena construção circular, com colunas que fica no topo de uma colina. A torre Chinesa, uma construção em Madeira tipo pagode que fica no meio de um dos biergartens maiores no centro do parque. E os surfistas, sim, ouviram bem – existe um sistema de criação de ondulação artificial num dos canais de água do parque que atrai surfistas diariamente, que fazem fila para apanhar estas ondas – quase sem sair do sítio. Vale a pena espreitar! Estivemos imenso tempo especados a ver os surf riders em acção. Aquilo é mesmo engraçado. Não percebo muito bem como as ondas são criadas, mas têm um efeito diferente das do mar. Quem já viu surfar na praia perceber que a onda se apanha ao longe e depois o surfista começa a aproximar-se da praia, acompanhando o movimento da onda. Aqui não, eles conseguem equilibrar-se sempre no mesmo sítio, e a onda também não se desloca ao longo do curso do rio. Quase dava para simular na banheira. Deixo-vos um pequeno vídeo para verem melhor!

Read more

Residenz – o palácio no centro de Munique.

A minha primeira visita ao Residenz, palácio no centro de Munique, não foi de boa memória, já que deixei lá ficar uma máquina fotográfica com todas as fotografias das férias. Digamos que me traumatizou, mas passados oito (? o tempo voa) anos acabei por regressar, tirar imensas fotos e chegar – finalmente! – com elas a casa.Este Palácio, o maior palácio citadino da Alemanha, está construído neste local desde 1385, e foi durante muito séculos a residência oficial dos monarcas da Baviera. As remodelações, reconstruções e ampliações que ocorreram ao longos dos séculos deram-lhe uma místura de estilos, que vão desde o Renascimento, ao Barroco, Rococó ou Neo-Classicismo, que hoje e dia atraem milhares de turistas diariamente. Hoje em dia funciona como museu, é possível visitar os apartamentos reais, o famoso Antiquarium, e todas as suas maravilhas arquitetónicas. Gostei bastante da visita, o bilhete simples custa 7 euros e que incluía um audioguia com explicações mais ou menos exaustivas em todas as salas. Podem consultar os horários de funcionamento, e os diferentes tipos de bilhetes combinados, que também permitem visitar outras zonas do palácio, aqui.

Read more

O centro de Munique – em volta da Marienplatz!

Aqui há uns anos (como o tempo passa) no regresso da minha viagem pela Índia, estive uma manhã de domingo em Munique e desenhei um roteiro do que não podiam perder. As fotografias daquele dia são de uma cidade mais ou menos fantasma, já que era domingo de Páscoa e bem cedo. (Roteiro 2014 aqui e Fotografias 2014 aqui) Este ano, quando regressei à cidade, com uns amigos que ainda não conheciam fizemos uma volta mais ou menos parecida, com a diferença que desta vez havia vida na cidade e tínhamos mais alguma tempo livre. Por isso trago-vos novas fotografias, muito mais giras e movimentadas e algumas dicas extra: – O centro da cidade gira todo em redor da Marienplatz, onde está a Rathaus, talvez o edifício mais conhecido da cidade. É possível subir ao topo da torre, mas eu aconselho mesmo a que subam antes à Peterskirche, bem na frente, de onde têm a vista mais icónica da cidade, que apanha não só a Rathaus, como a Frauenkirche. É cartão-postal e capa de guias. Vale a pena. – O Viktualienmarket, fica mesmo ao lado da praça e é uma gracinha, para além de ser possível lá comer, já falei dele aqui, tem mercado de frescos e de souvenirs todo o ano, e imagino que fique incrível também na época do Natal, vale muito a pena passar por lá – Aproveitando que tínhamos bastante mais tempo do que da última vez que estive por lá, visitámos com mais calma o Residenz e o EnglisherGarten, um bocadinho mais afastado do centro, mas a poucos minutos a pé. Terão ambos post em breve. – Para finalizar, voltamos ao centro já ao cair da noite, a iluminação dá uma perspectiva diferente a tudo, que também vale a pena conferir.

Read more

Onde comer (e beber!) em Munique?

Eu não sei como é convosco… mas eu vou para um destino como Munique quase mais entusiasmada com a cerveja e as salsichas do que com a visita à cidade – principalmente se já não for a primeira vez.
Foram meses de grupo do Whatsapp a organizar a viagem e para além da decisão dos locais a visitar volta não volta o que aparecia por lá era canecas de litro de cerveja e imagens de comida, portanto já tínhamos em mira alguns restaurantes que queríamos conhecer. E o primeiro deles, o meu favorito, entrou na opção de jantar quase por acaso.
No segundo dia, regressámos a Munique já tarde, vindos de Hallstatt e jão só apetecia comer qualquer coisa antes de recolher, portanto decidimos mesmo ficar pela zona do hotel e acabamos por entrar num restaurante mesmo em frente. Quando começamos a perceber onde estávamos, vimos que aquele era um dos restaurantes de que tínhamos falado, depois do fiasco de Hallstatt a escolha de jantar não podia ter sido melhor. read more

Read more

Vem aí a #roadtripnaBaviera, o roteiro.

E foi com o regresso dos fim-de-semanas prolongados, graças a pontes proporcionadas por feriados retornados, que embarcamos numa road trip pela Baviera no fim de semana de 29 de Outubro a 1 de Novembro. Nos próximos tempos, vou tentar resumir por aqui todas as dicas e detalhes dessa viagem, mostrar-vos imensas fotografias – como sempre – e também uns vídeos novos do passeio, que agora que comecei ninguém me segura. Apesar de contar pelos dedos das mãos as visualizações que tenho no YouTube, acho que nem a minha família passa por lá, senão aquilo tinha mais sucesso. 🙂 Aproveitando uns voos baratinhos da Ryanair para o aeroporto de Memmingen ( a cerca de 100 km a oeste de Munique) desbloqueamos a viagem que estava nos planos há imenso tempo e o roteiro, depois de muito debater e de deixar de fora imensas outras coisas que também queríamos ver – óptima desculpa para regressar! – o roteiro ficou assim: =&0=& – Chegamos tarde a Memmingen, alugámos carro e conduzimos até Munique =&1=& – Pegámos cedo no carro e conduzimos até à Áustria, passamos o dia quase todo em Salzburgo e ao final da tarde demos um pulinho a Hallstatt. (péssima decisão, deveríamos ter feito ao contrário!) =&2=& – Passamos o dia todo em Munique, exploramos o centro da cidade, ao redor da MarienPlatz, o EnglisherGarten, comemos salsichas e bebemos cerveja =&3=& – Saímos de Munique de manhã cedo, primeiro em direcção a Dachau, visitámos o campo de concentração e depois fizemo-nos à estrada em direcção aos Alpes. Depois do almoço estávamos no Castelo de Neuschwanstein e foi incrível. Fizemos uma paragem pequena ao fim do dia em Füssen, antes de voltar à estrada e conduzir de novo até Memmingen, onde apanhamos o voo da noite para o Porto. A viagem foi curta e bem corrida, mas mesmo assim aproveitamos bastante. Já apanhámos uns dias bem frios e curtos (viajámos mesmo no fim-de-semana em que mudou a hora) mas ainda não era época de Natal. Sugiro que caso tentem repetir a nossa aventura o façam na Primavera, em que terão muito mais tempo de luz de Sol para aproveitar a viagem ou na época de Natal, já que os mercados no Sul da Alemanha tem fama de ser dos mais incríveis, e o de Salzburgo também não lhes fica atrás. =&4=& Aeroporto de Memmingen e dicas de aluguer de carro na Baviera. Áustria Roteiro de 1 dia em Salzburgo. Salzburgo visto do alto. Salzburgo no Youtube. Hallstatt à luz da lua. Munique Onde comer (e beber!) em Munique. O centro da cidade, em volta da Marienplatz. Palácio Residenz. EnglisherGarten Campo de concentração de Dachau. Alpes Bávaros Neuschwastein Schloss Fussen Vlog a caminho dos Alpes =&5=& =&6=&

Stop-over em Munique, reportagem fotográfica. read more

Read more

Stop-over em Munique, reportagem fotográfica.

Algures entre as 7h e as 9h30 da manhã, domingo de Páscoa. Conclusão: tudo fechado. nem um transeunte para contar a história. Só uns malucos que se abalaram do aeroporto, em escala para chegar a casa, para ‘esticar as pernas na cidade’. -Isartor -Viktualienmarket -Marienplatz -Odeonsplatz -Residenz -Asamkirche -Karlsplatz -Random

Read more

Stop-over em Munique – logística e roteiro.

É difícil explicar a alguém que é possível fazer o roteiro básico de uma cidade em apenas 3 horas, mas o facto é que depois de muitas viagens, com um bom ritmo, um plano bem estudado, e uma cidade cujas atracções sejam bem centrais, tudo é possível. No regresso da nosso viagem à Índia faríamos uma escala de 7 horas em Munique, chegando às 5h da manhã e partindo de novo às 12h, num domingo de Páscoa. Pode parecer um horário péssimo e mesmo a convidar a uma soneca num qualquer banco do aeroporto, mas a verdade é que eu nunca digo que não a uma viagem atribulada e corrida. Daí que encarámos aquilo que foi mais ou menos ‘ir tomar o pequeno-almoço ao centro da cidade’. Já tinha estado em Munique há uns anos, o que ajudou a saber exactamente onde queria ir e o que queria rever. Deixo-vos aqui um plano detalhado desta aventura expresso, para que quando tiverem uma oportunidade parecida não se arrependam por ter ficado a ver as montras do dutty free no aeroporto. – Comboio Aeroporto <> centro da cidade Há duas linhas de comboio (S-Bahn) que ligam o aeroporto de Munique ao centro da cidade, a S-1 e a S-8, e demoram cerca de 45 minutos (depende da estação em que saírem). No aeroporto é muito fácil encontrar a estação do S-Bahn uma vez que as indicações são óptimas, mas podem levar já uma ideia consultando este mapa aqui. Os bilhetes podem ser comprados nas máquinas da estação indentificadas com o símbolo da rede de transportes da região de Munique (MVV) e existem duas versões: – o bilhete de uma pessoa (11,70 euros) – e o bilhete de grupo, até 5 pessoas (21,30) O preço é um bocado puxado, principalmente para o bilhete simples de quem quer apenas ir até ao centro da cidade e voltar, mas permite fazer viagens ilimitadas durante um dia e se for partilhado pode ser muito boa opção. As condições mais detalhadas podem ser consultadas aqui. -Percurso no centro da cidade Este é um roteiro básico de reconhecimento que fizemos em menos de três horas, claro que não é o ideal e implica não visitar nenhum destes locais por dentro mas apenas ir andando pelas ruas para absorver o movimento da cidade (no nosso caso o não movimento – também é interessante (!) – já que era a manhã do domingo de Páscoa). Se não forem umas lesminhas prometo que vão ter ainda uns 20 minutos relaxados numa esplanada para beber uma cerveja da Baviera. Se tiverem mais umas horinhas, algo que se pareça com um dia inteiro aproveitem para disfrutar melhor do Viktualenmarkt, para entrar no Residenz ou para subir ao topo da Rathaus na Marienplatz. Se sobrar algum tempo apanhem o metro até ao Englisher Garten, aproveitem para beber lá a cerveja prometida e imaginem que estão em pleno OktoberFest. Roteiro fotográfico amanhã.

Read more