Museu do Azulejo

Descobri a existência deste museu há cerca de um ano no blogue da Agnes (A Terra vista da Lua), que por sinal adoro, “Olá companheira de blogosfera!”, e que me deixou com água na boca para a visita seguinte a Lisboa. Estive lá no Verão passado mas não deu, mas desta vez, quando viajei a trabalho, entre a palestra da manhã, o almoço e a sessão de posters da tarde lá consegui arranjar um tempo para uma escapadela cultural.
E se isto fica onde o diabo perdeu as botas! Apanhei um autocarro no Jardim do Arco do Cego, que passou na praça do Chile, no cemitério do Alto de São João e finalmente desceu até perto do rio, onde fica o Museu. Espero que estas indicações vos sejam familiares, porque eu andei muito perdida e nem me lembro do número do autocarro.
Mas indo ao que interessa, adorei este recanto escondido na capital.
É verdade que aquilo só tem mesmo azulejos, e pode parecer um coisas sem importância já que também os temos em casa em tudo quando é canto. Mas estes são incríveis, dão uma grande lição de história de Portugal e não há azulejos mais giros no mundo.
(foi difícil selecionar as imagens!)
Planeia a tua viagem!

Se quiseres planear a tua viagem de forma independente, tal como eu faço, usa os links que deixo abaixo.
São parceiros de confiança, podes conseguir alguns descontos, e ajudar-me a manter o blogue. Obrigada!

  • Reservas de alojamento em Booking.com
  • Procura o melhor tour/passeio para explorar o destino pretendido em GetYourGuide
  • Pede já o teu cartão de crédito Revolut sem custos, e fica isento de taxas e comissões em pagamentos e levantamentos de dinheiro noutras moedas

Qualquer dúvida, manda-me um mail e posso ajudar no que precisares.

*Esta publicação contém links afiliados

  1. Agnes

    July 2, 2015 at 9:33 pm

    Txinapá, acho que até corei! Fico contente que tenhas gostado, eu adoro azulejos, por mim um museu só com isso é simplesmente genial 🙂
    Quando fui lá fui de carro e como o museu fica numa zona por onde não passava nos meus tempos de cliente habitual da Carris não faço ideia dos números dos autocarros…

Leave a Reply