Bairros étnicos, diversidade cultural em Singapura

Quando pensamos em Singapura o que vem em primeiro lugar à ideia, é a arquitetura moderna, o futuro, a tecnologia e o progresso. Imaginamos um país de grandes prédios e arranha-céus. A imagem do desenvolvimento asiático. E apesar dessa imagem corresponder à realidade, essa não é a única realidade desta cidade-país. 

O desenvolvimento referido, e consequente progresso económico, torna o país um alvo predileto para emigração, já que a maioria dos seus países viznhos não oferecem condições de vida sequer parecidas aos seus cidadãos. Mas como a cultura imigra com as pessoas, é giríssimo ver os aglomerados culturais espalhados pela cidade. E as diferenças que possuem em relação à sua origem.
Por exemplo, uma Little India limpa é quase um conceito contra-natura, mas existe e está em Singapura.
Visitei três dos principais bairros étnicos na cidade, Little India, Arab Street e China Town, ficam as imagens.

  • China Town

Já foi referido aqui o bairro, já que é lá que fica o famoso Restaurante Hacker Chan, onde podem comer o Soya Sauce Chicken Noodle, famoso pela sua estrela MIchelin a 5 euros. Mas o bairro é mais que isso. Podem visitar por lá o famoso templo do dente do Buda (supostamente está mesmo lá um dos dentes do Buda (!), mas tirando o devido desconto a essa parte da história o templo é riquíssimo e vale a visita) ou perder-se na suas ruelas enfeitadas com lanternas chinesas e onde podem comprar de tudo, como em qualquer outro China Town em redor do mundo.

(+) O restaurante estrela Michelin mais barato do mundo, em Singapura

  • Arab Street

Achei que a zona de Arab Street é aquela em que menos que notam as marcas culturais nas ruas, no bairro comum, nos locais onde as pessoas vivem. A zona é simpática, tem umas ruelas bem giras e simpáticas para um passeio mais relaxado, mas não fosse a Mesquita Masjid Sultan – que domina a área – e a presença de alguma mulheres com a cabeça coberta e poderia ser qualquer outra zona da cidade. A visita vale a pena pelos recantos instagramáveis de ser (As varandas de Bugis Street) e pelas ruas comerciais que há na região.

  • Little India

Imaginem a Índia limpa e asseada. Pois, a não ser que nunca lá tenham ido e a vossa mente esteja apenas no “Caminho das Índias” (a novela da globo) ou algo parecido, é impossível separar a imagem da Índia do lixo, da degradação, da confusão e da pobreza. Até chegarem a Little India em Singapura.
Aqui o bairro é claramente indiano, todas as lojas e comércios tem funcionários hindus, percebe-se pelos tempos, pelas decorações, pelas pessoas…. só que não. É tudo limpo, organizado. É um mundo muito estranho.
Podem ir até lá para comprar ouro, ou então só para entrarem numa das lojas que o vende. É mesmo impressionante – são metros e metros quadrados de lojas com vários pisos, tudo a brilhar em dourado.
Visitem um dos templos hindus, como o Sri Veeramakaliamman, nós não entramos porque estava fechado, mas vale a pena passar por lá só pelo trabalho e ornamentação exterior.

(+) Roteiro de dois dias em Singapura

(+) Marina de Singapura, a imagem do país

Leave a Reply